sexta-feira, 25 de novembro de 2011

La Piel que Habito (O filme) Almodóvar

Não vale a pena ver na telona!     

      Esse diretor sempre chamou minha atenção, pois seus filmes são inquietantes, perturbadores e por vezes até difíceis de serem assistidos, tamanha a audácia e a nudez que ele tem em retratar o ser "humano" com suas loucuras e psicoses. Sou fã de carteirinha, mas como disse o Rogério Flausino "Se um cantor desafina, porque outro profissional também não pode desafinar?".

        Sim, estou dizendo que pela primeira vez o Pedro Almodóvar, no meu ponto de vista claro, desafinou! Quando assisti o trailer achei fantástico e fiquei na expectativa do seu lançamento. Filme esse que conta a estória de um cirurgião plástico que cria uma pele indestrutível, para que as pessoas que sofreram com queimaduras possam usa-la por cima e até futuramente todos usarem, pois a mesma, inclusive, é repelente natural aos insetos.

       E é em meio a essa promessa medicinal que a trama é desenvolvida, a fotografia do filme super valoriza a pele, claro, e brinca também com espelhos, e câmeras que vigiam o tempo todo. O cenário da casa onde acontece a maior parte do filme é minimalista em cores claras e alguns tons de contraste. A fotografia do filme é fantástica, ela realmente traduz o ar doentio dos personagens.


"Pera aí, você não tinha falado que ele desafinou e você está aí a todo elogio?"


        A verdade é que tudo ia bem, até chegar no auge da trama, e foi tão óbvio que eu não acreditei que estava realmente assistindo um filme do Almodóvar. O que pecou foi simplesmente o roteiro, totalmente fraco e desconexo. Não no sentido de linha do tempo e sim no sentido de que o fim do filme não tinha uma moral relevante. Eram apenas loucuras alimentada por loucuras, reproduzindo loucuras. Não havia nada que nos fizesse sair do cinema e discutir sobre a sociedade, ou sobre a psique humana, não! Foi simplesmente, óbvio! do tipo #NãoAcredito!

        O elenco escolhido é de primeira, Antonio Bandeiras como Roberto Ledgard, Elena Anaya como Vera e Marisa Paredes como Marilia. Esses são os personagens que estão intrinsecamente ligados ao enredo evidente da loucura tecida por Almodóvar, juro que tem uma hora que você até esquece a bendita da pele!

           Cada pessoa possui uma ótica diferente dos filmes, quando os assistem. Pode ser que alguém assista e goste, e  até entenda, e se entender vem me explicar por favor...rs. É clara a intenção de retratar a violência, o poder, a compulsão por beleza e tudo mais, mas não foi questionador. A minha dica é: Se depois de ler essa resenha você quiser assistir no cinema, pode ir, mas depois que eu assisti descobri que é o tipo de filme que eu alugaria e assistiria em casa só para matar a curiosidade! #FikDik!



Bom é isso! Alguém gosta dos filmes do Almodóvar?
 Já viu esse Filme? Gostou?



Participe dos sorteios do Blog!

       

Estilo? Só quem tem! E você Pode ter!

7 comentários:

Liu disse... [Reply to comment]

Eu fiquei agoniada com o treiller, não sei se vou assistir não hahahaha. Poxa era pra vc ter vendido os livros de Crepusculo pra mim rsrsrsr.


Bjo

Thalita Oliveira disse... [Reply to comment]

Caramba mulher fiquei triste com a sua resenha :S , estou super na expectativa para ver esse filme :S , adorei demais o trailer! Mas depois do que você disse acho que vou baixar na internet e assistir em casa mesmo :S... hehe'.

Beijão

*-* Thaís Cavalcante *-* disse... [Reply to comment]

Quero assistir esse filme! Parece mesmo ser maravilhoso! Bezo flor e ótimo domingo! =)

Natasha Nunes disse... [Reply to comment]

Eu acho os filmes dele super perturbadores hahahaha xD

Rebecca Albino disse... [Reply to comment]

Gosto do Almodóvar e gostei desse filme. Como te disse, é do feitio dele querer chocar e sempre apresenta em seus filmes aquela fórmula de homens vestidos de mulher e tal. Dessa vez ele se fez entender bem. A maior parte dos filmes dele dão papo, mas esse excedeu expectativas neste quesito. Bocejei várias e várias vezes no início e, realmente, a pele que o ''Antonio Bandeiras'' estava desenvolvendo ficou em segundo plano, dando lugar ao drama que é a vida dele e mostrando que o título faz jus literal à história: a pele que habito.

Bem que eu estava achando estranho, ele querer abordar um tema que pende pro lado científico (a criação da pele), mas depois tudo fez sentido -- ou não, né? hahaha

Essa é a graça: falar, falar, falar ;)

Geny Iwankio disse... [Reply to comment]

Pelo trailer parece ser bom meesmo!!!
Mas é melhor esperar chegar nos DVD's!!

Estou te seguindo querida, se puder conheça meu blog e siga tbm!
www.metalmake-up.blogspot.com

Anônimo disse... [Reply to comment]

O filme é mto bom e as atuações fantasticas. Discordo totalmente em relação ao roteiro, achei ele muito bem amarrado.

Um abs,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...